(2) 1º Congresso Luso-Brasileiro de Materiais de Construção Sustentáveis – Guimarães – PT

Os íons cloretos são os principais agentes iniciadores de corrosão de armaduras em estruturas de concreto armado, isso se deve a sua capacidade de destruir a película passivadora gerada pelo cimento Portland. O objetivo deste trabalho é estudar os efeitos da adição de sílica da casca arroz, obtida por meio de queima em leito fluidizado, na durabilidade de concretos, a base de cimento CPII-Z, frente à penetração de íons cloretos. Neste trabalho foram analisadas, além da mistura referência, outras três misturas, nas quais foi substituído o cimento Portland por sílica de casca de arroz, nos teores de 3%, 5% e 10%. Para a avaliação da durabilidade destes concretos a penetração de íons cloretos foram adotados dois métodos; ensaio acelerado de penetração de íons cloretos, conforme ASTM [1] e o ensaio de penetração de íons cloretos por imersão em solução salina. Também foram realizados ensaios de resistência à compressão axial para análise do comportamento mecânico dos concretos estudados. Os ensaios foram realizados aos 56 dias e aos 91 dias de idade. As amostras provenientes das misturas contendo sílica da casca de arroz apresentaram uma redução da profundidade média da penetração de íons cloretos e da carga passante, sendo que a mistura contendo 5% de sílica foi a que apresentou resultados mais satisfatórios, reduzindo em aproximadamente 25% o valor da carga passante no ensaio acelerado, realizado aos 91 dias. A profundidade de penetração da solução salina nos ensaios de imersão foi de aproximadamente 15% menor para as misturas contendo sílica de casca de arroz em relação à mistura de referência.

PDF: DURABILIDADE DE CONCRETOS COM ADIÇÃO DE SÍLICA DA CASCA DE ARROZ OBTIDA EM LEITO FLUIDIZADO À PENETRAÇÃO DE ÍONS CLORETOS.